Dilma: salve nossas florestas

À presidente Dilma Rousseff :

Estamos fazendo um apelo à senhora, pedindo-lhe que tome medidas imediatas para salvar as preciosas florestas brasileiras vetando as mudanças no Código Florestal. Também insistimos que V.Sa. previna a ocorrência de mais assassinatos de ambientalistas e trabalhadores aumentando a fiscalização contra madeireiros ilegais e reforçando a proteção às pessoas que sofrem risco de ataques violentos ou morte. O mundo precisa que o Brasil seja um líder internacional em questões ambientais. Uma medida firme da parte do governo brasileiro protegerá o planeta para as futuras gerações.
 
Já participa da Avaaz? Basta digitar seu email:
Primeira vez? Por favor preencha o formulário:
Avaaz.org vai proteger sua privacidade e manter você informado sobre esta e outras campanhas semelhantes.

Postado:  22 junho 2011
A Câmara dos Deputados acaba de aprovar o esvaziamento do Código Florestal brasileiro. Se não nos mobilizarmos agora, enormes extensões de nossas florestas poderão ficar vulneráveis a um devastador desmatamento.

O projeto de lei gerou revolta e protestos generalizados em todo o país. E a tensão está subindo: nas últimas semanas diversos ativistas ambientais respeitados foram assassinados, supostamente por matadores contratados por madeireiros ilegais. É essencial agir agora mesmo. Estão tentando silenciar qualquer crítica enquanto a lei está sendo discutida no Senado. Mas a presidente Dilma tem o poder de vetar as mudanças se conseguirmos persuadi-la a superar a pressão política e assumir o papel de uma verdadeira líder em questões ambientais.

Setenta e nove por cento dos brasileiros querem que Dilma vete as mudanças no Código Florestal, mas nossas vozes estão sendo desafiadas por lobbies de madeireiros. Agora, depende de todos nós nos mobilizarmos para calar esses lobbies. Vamos nos unir agora em um gigantesco apelo para dar fim aos assassinatos e à exploração ilegal de madeira e salvar nossas florestas. Assine a petição a seguir - ele será entregue a Dilma assim que conseguirmos 500.000 assinaturas.

Compartilhe nas redes

Clique para copiar: