Poucas horas para barrar a terrível lei contra gays em Uganda

Para o Presidente de Uganda Yoweri Museveni, Líder do Parlamento ugandense Rebecca Kadaga, membros do Parlamento e líderes mundiais:

Nós nos colocamos ao lado dos cidadãos de Uganda que estão apelando a seu governo para que retire o Projeto de Lei Anti-Homossexual, e que proteja os direitos humanos universais contidos na constituição ugandense. Nós instamos os líderes ugandenses e países parceiros a se juntarem a nós na rejeição da perseguição e na defesa dos valores de justiça e tolerância.

Já participa da Avaaz? Basta digitar seu email:
Primeira vez? Por favor preencha o formulário:
Avaaz.org vai proteger sua privacidade e manter você informado sobre esta e outras campanhas semelhantes.
David Kato, ativista dos direitos gays ugandense assassinado

Postado:  22 novembro 2012
O parlamento de Uganda pode aprovar uma lei brutal que pode implicar na pena de morte para a homossexualidade. Se eles fizerem isso, milhares de ugandenses poderiam ser executados ou condenados a prisão perpétua, apenas por serem gays.

Nós ajudamos a impedir esta lei antes, e podemos fazê-lo novamente. Depois de uma enorme manifestação global ano passado, o presidente ugandense Museveni bloqueou o avanço da lei. Mas os distúrbios políticos estão crescendo em Uganda, e extremistas religiosos no parlamento estão esperando que a confusão e violência nas ruas distraia a comunidade internacional nesta segunda tentativa de aprovar essa lei feita de ódio. Nós podemos mostrar a eles que o mundo ainda está observando.

Nós não temos tempo a perder. Vamos nos unir em 1 milhão de vozes contra a terrível lei contra gays em Uganda nas próximas 24 horas -- entregaremos a petição para os líderes de Uganda e países influentes. Assine e compartilhe com todos!