Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Acesso aos concursos públicos democráticos e abertos

Acesso aos concursos públicos democráticos e abertos

70 assinaram. Vamos chegar a   100
70 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Célia M. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Célia M.
começou essa petição para
Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social,
Assembleia da República,
Câmara Municipal de Lisboa
Mais uma vez, estamos perante uma afronta aos direitos dos trabalhadores por contra própria, bem como aos trabalhadores do sector privado.

Sem que sejamos menos qualificados, sem que sejamos menos trabalhadores, dedicados, responsáveis, profissionais, somos constantemente discriminados, face à realidade pública. Muitos de nós não teve sequer a oportunidade de realizar um único contracto de trabalho, a maioria luta com a realidade dos recibos verdes e todos perdemos a conta às horas de trabalho realizadas diariamente. Subsídios? O que é isso?

Prejudicam os que lutam séria e arduamente todos os dias no terreno, por trabalho.

Abriram mais de 100 vagas em diversas áreas na CML, mas que ninguém se iluda. É um concurso interno e quem não tem vínculo prévio com a função pública não poderá, sequer, candidatar-se. O procedimento concursal encontra-se publicado em Diário da Republica pelo Aviso nº.9328-A/2013 (http://dre.pt/pdf2sdip/2013/07/138000001/0000400012.pdf).

Na actual circunstância em que vivemos, com cerca de 20% de desempregados, e de um universo de mais de uma centena de trabalhadores necessários no município de Lisboa, porque têm estes de ter, na sua totalidade, um vínculo prévio com a administração pública ?

Porque têm os trabalhadores do sector privado e por contra própria (e DESEMPREGADOS!) menos direitos que os colegas de profissão do sector público ?


Se nunca for dada a oportunidade, os desempregados nunca passarão a ser empregados, e nunca será possível constituir um vínculo à função pública.

Qual a dificuldade em distribuir as vagas, equitativamente?

Todos os que partilham desta posição e que permanecem neste País, e aos que sabiamente já partiram, e ainda a todos os trabalhadores da função pública sérios e justos, assinem esta petição e ajudem a mudar esta realidade demente!

"Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria subtância", Simone de Beauvoir.