Ao continuar você está aceitando a Política de Privacidade da Avaaz, que explica como seus dados podem ser usados e como serão protegidos.
Entendi
Nós utilizamos os cookies para analisar como visitantes usam o site e para nos ajudar a fornecer para você a melhor experiência possível. Leia nossa Política de Cookies.
OK
Ministério Público do Estado de São Paulo e Coord. Estadual de DST/AIDS: Reabrir a Casa de Convivência e Apoio Brenda Lee

Ministério Público do Estado de São Paulo e Coord. Estadual de DST/AIDS: Reabrir a Casa de Convivência e Apoio Brenda Lee

280 assinaram. Vamos chegar a   500
280 Apoiadores

 

Complete a sua assinatura

,
Ao juntar-se a esta campanha você concorda em receber emails da Avaaz. Nossa Política de Privacidade protegerá seus dados - no link explicamos como eles serão usados. Você pode se descadastrar a qualquer momento.
Esta petição foi criada por Fernanda de. M. e pode não representar a visão da comunidade da Avaaz.
Fernanda de. M.
começou essa petição para
Ministério Público do Estado de São Paulo e Coord. Estadual de DST/AIDS
A Casa de Convivência e Apoio Brenda Lee, também conhecida como Palácio das Princesas, foi instituída formalmente em 1988 para abrigar LGBTs e Portadores do vírus HIV rejeitados por seus familiares e também com o objetivo de dar assistência médica, social, moral e material, fossem tais pacientes Travestis ou não. A casa, situada na Rua Major Diogo, 779, Bela Vista, São Paulo/SP, começou com três pacientes ainda no ano de sua compra, 1984.
Brenda Lee era considerada o “anjo da guarda das travestis” e tinha como objetivo ajudar a todos, doentes ou não, que eram discriminados pela sociedade. O trabalho de Brenda tornou-se um referencial e um marco importante na luta contra o preconceito e em favor dos Diretos Humanos das pessoas LGBT. Em 21 de outubro de 2008 foi instituído o prêmio Brenda Lee concedido quinquenalmente para sete categorias por ocasião das comemorações do Dia Mundial de Combate à Aids e aniversário do Programa Estadual DST/AIDS do Estado de São Paulo.
Atualmente a casa está fechada para os portadores do HIV/AIDS, mas continua aberta para receber doações, e a atual proprietária mantem o brechó aberto e pretende construir um estacionamento, o qual foi comprado com verba doada pela Fundação Bill Gates que destina-se a ajudar instituições para pessoas soropositivas.